Commune Coletivo Teatral

A Commune Coletivo Teatral (COMMUNE) é um grupo teatral criado em 2003 que realiza espetáculos teatrais de palco e rua, com atores profissionais e jovens aprendizes a partir da releitura de textos clássicos e da criação de textos em processo de dramaturgia colaborativa, da estética da Commedia Dell`Arte, com o uso de recursos circenses, máscaras, música ao vivo, bonecos, entre outras linguagens não realistas.

A COMMUNE também é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que desenvolve projetos culturais e sociais em parceria com comunidades, empresas e o poder público.
Realizamos um sério e sistemático trabalho de pesquisa, capacitação e montagens cênicas em comunidades da periferia e do centro de São Paulo, em parceria com a UNESCO, FAT, Ministério da Cultura, FUNARTE, PETROBRÁS, VISA, CMDCA, SESC, Prefeitura de São Paulo, entre outros.

Desde 2006, a COMMUNE é um Ponto de Cultura do MinC, que desenvolve a formação de jovens aprendizes por meio Oficinas de Teatro, Máscaras, Iluminação Sonoplastia, Cenário, Figurino e Produção Cultural e da montagem de espetáculos de palco e rua.
Em 2007, com o patrocínio da PETROBRAS, FUNARTE e MinC, montamos o espetáculo O Arlecchino de Dario Fo que foi apresentado para mais de 5.000 pessoas em palco e rua e construímos o Teatro Commune, laboratório de pesquisa e montagem do grupo que conta com café, galeria de exposições e sala, ar condicionado, camarins, banheiros para deficientes, sala de ensaio e equipamento de luz e som profissional.

Em 2008-09, realizamos uma Oficina de Commedia dell arte com o ator Enrico Bonavera, que interpreta a personagem Briguela no espetáculo Arlecchino Servidor de Dois Patrões de Carlos Goldoni, com direção de Georgio Strehler, no Piccolo Teatro de Milão e a Exposição de Máscaras do Centro Maschere i Struture Gestualli, com curadoria de Donato Sartori e Paola Piizzi, na Caixa Cultural da Sé.

Em 2009, conquistamos o Prêmio Asas, obtendo o 1º lugar na avaliação feita pelo MinC; acolhemos 04 Prêmios de Interações Estéticas, em desenvolvimento e fomos contemplados pelo Bolsa Escola Viva.

Alguns espetáculos do grupo são:

O Inspetor Geral de Nicolai Gogol, direção Augusto Marin (2004); A Verdadeira História de Adão e Eva, texto e direção de Augusto Marin (2006); O Arlecchino de Dario Fo, direção de Augusto Marin (2007); Nem Todo Ladrão Vem para Roubar de Dario Fo, direção de Antonio Aurrera e Augusto Marin (2010); A Cabeça dos Bichos, direção de Paulo Gandolfi; 3 x A Igreja do Diabo, baseado na obra de Machado de Assis, direção Celso Amâncio e Augusto Marin; Delicias da Modernidade, criação coletiva, direção de Flávia Pucci; A Farsa da Esposa Muda, de autor anônimo do século 16, direção de Michelle Gabriel e O Mentiroso de Carlo Goldoni, direção de Maria Eugênia Di Domenico e Augusto Marin.

Comments are closed.